segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Módulo 10 - Mídia, Internet e Controle Social

Professor:
Profa. Msc. Ana Lúcia Prado

Carga Horária:
30 horas - 22 a 24/11/2012 e 29/11/2012 a 01/12/2012

Ementa:
Internet: histórico e contexto do surgimento. As novas tecnologias e a sociedade. Sociedade em rede e a mídia em rede. Internet e política: perspectivas democráticas via internet, rede sociais, participação e controle social.

Objetivos:
Identificar as interfaces entre os meios tradicionais e a novas tecnologias. Analisar criticamente as possibilidades de mobilização social a partir da sociedade em rede. Propor experiências de controle social a partir das multimidialidade oferecida pelas redes.

LINK PARA BAIXAR OS CONTEÚDOS


Ordem de leituras dos textos:
  1. Os terríveis Simplificadores - Sérgio Paulo Rouanet
  2. Democracia Digital - Wilson Gomes
  3. Democracia e internet - Rachel Bragatto
Os demais textos serão distribuídos em grupo para os seminários.

Conteúdo Programático:

Unidade I:
  • Lições da história da internet.
  • As novas tecnologias e o indivíduo e a sociedade
Unidade II:
  • Internet e a noção de política. Controle social e as possibilidades ofertadas pelas redes: aberturas e desafios.

Avaliação:

Está dividida em dois momentos:
  • Seminários temáticos (5,0 pontos) em grupo, tendo por base textos entregues à turma. Serão critérios de avaliação: pertinência do tema, articulação com outros autores, participação, entrega de resenha por cada grupo. Semana 1.
  • Produto de trabalho em grupo em laboratório como resultado da articulação das aulas, seminários e execução prática em laboratório (5,0 pontos). Serão critérios de avaliação: pertinência do tema, criatividade e caráter inédito da proposta, participação, entrega de produto final disponível na internet. Semana 2.

Material necessário:

Sala de aula com data-show, caixinhas de som. Laboratório de informática para a segunda semana com computadores, software de edição de imagens, caixas de som etc.

Referências bibliográficas para aprofundar a temática:

ALONGE, Wagner. Àgoras digitais: a emergência dos blogs no ciberespaço e suas implicações na sociabilidade e cultura midiática. I Congresso Anual da Associação Brasileira de Pesquisadores de Comunicação Política. Salvador: 2006.

CARDOSO, Gustavo. A Mídia na Sociedade em Rede.1ª. Ed. Rio de Janeiro: FGV. 2007.

CASTELLS, Manuel. A galáxia da Internet. Reflexões sobre a Internet, os negócios e a sociedade. São Paulo: Jorge Zahar. 2001.

__________________. A sociedade em rede. 10 ed. SãoPaulo: Paz e Terra. 2007.

EISENBERG, José & CEPIK, Marco. (org.). Internet e Política. Teoria de prática da democracia eletrônica. Belo Horizonte: Editora da UFMG. 2002.

GOMES, Wilson. A democracia digital e o problema da participação civil na decisão política. Revista Famecos. V. II. Porto Alegre: Edipucrs. Setembro/Dezembro. 2005.

_______________Internet e participação política em sociedades democráticas. Revista Famecos. Porto Alegre: Edipucrs. Agosto. 2005.

MAIA, Rousiley, CASTRO, Maria. (org.) Mídia, Esfera Pública e Identidades Coletivas. Belo Horizonte: UFMG. 2006.

MARQUES, Jamil. Debates políticos na Internet e a perspectiva de conversação civil. Revista Opinião Pública. Vol.12. No. 1. Abril/Maio: Campinas. 2006. p. 164-187.

WARSCHAUER, Mark. Tecnologia e inclusão digital. A exclusão digital em debate. São Paulo: Senac. 2003.

WOLTON, Dominique. E Depois da Internet? Para uma teoria crítica dos novos médias. Lisboa: Difel. 1999.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Módulo 9 - Mídia e Deliberação Pública

Professor:
Dr. Heraldo de Cristo Miranda

Carga Horária:
30 horas - 18 a 20/10/2012 e 25 a 27/10/2012

Ementa:
Analisar algumas tradições teóricas acerca da democracia, da esfera pública. Analisar o debate sobre os mecanismos de participação democrática, objetivando  interpretar e explicar os fenômenos de mediação realizados pelos  media e sua relação com os processos da deliberação pública.

Conteúdo Programático:

Parte 1: Teoria Democrática e Esfera Pública
I. Teoria democrática e a tradição representativa
II. Teoria democrática e a tradição deliberativa
III. Novas abordagens acerca da esfera pública

Parte 2: Mídia e Deliberação Pública
IV. A deliberação pública e o sistema dos media
V. Visibilidade midiática e deliberação pública
VI. Esfera pública no ambiente contemporâneo


Metodologia:
  • Exposição, análise e discussão do conteúdo dos textos.
  • Utilização de material audiovisual acerca dos temas abordados.
Avaliação:
  • Atividade escrita ao fim da primeira semana, valendo 4,0 pontos.
  • Seminário, ao final da segunda semana, valendo 6,0 pontos.
Referência Básica:

Clique neste link para download do material do módulo

1ª SEMANA

AVRITZER, Leonardo. Teoria Democrática e Deliberação Pública. Revista Lua Nova, São Paulo, nº50, 2000.

HABERMAS, Jünger. Mudança Estrutural da Esfera Pública. 2ª Ed. São Paulo:Tempo Brasileiro, 2003.

LOCKE, John. Segundo tratado sobre o governo civil (Cap. XIII- Da Hierarquia dos Poderes da Comunidade Civil). Trad. Magda Lopes e Maria Lobo da Costa. 3ª ed. Petrópolis: Ed. Vozes, 2001.

ROUSSEAU, Jean Jacques. Do Contrato Social. Ridendo Castigat Mores. (Livro II, Cap. I e II: A Soberania é Inalienável/A Soberania é Indivisível). Disponivel em : www.jahr.org . Acesso: em 23 de set. 2012.

THOMPSON, John. A Mídia e a Modernidade. Petrópolis, RJ: Vozes, 1998.

2ª SEMANA

LYCARIÃO, Diógenes. Sistema dos media e Deliberação Pública: acerca do valor epistêmico da mediação para a legitimação democrática. IV Encontro da Compolítica, Rio de Janeiro, abril, 2011.

MAIA, Rousiley. Dos dilemas da visibilidade midiática para a deliberação pública. Texto apresentado no GT Comunicação e Política, XII Reunião anual da Compós, 2003.

PORTO. Mauro Pereira. Mídia e Deliberação Política: o modelo do cidadão interpretante. Revista de Sociologia Política, Santa Catarina, v.2. nº 2, 2003.

REFERÊNCIA COMPLEMENTAR:

DRYZEK, John S. Legitimidade e economia na democracia deliberativa. In: COELHO, V. S. P.; NOBRE, M.. Participação e deliberação. São Paulo: Editora 34, 2004.

GOMES, Wilson. Transformações da Política na era da comunicação de massa. São Paulo: Paulus, 2004

HABERMAS, J. Direito e Democracia: entre a facticidade e a validade. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1997.

MAIA, Rousiley C. M.; BUARQUE, Adriana; BRISCHILLIARI, Rafael. A dinâmica da deliberação: indicadores do debate midiado sobre o referendo do desarmamento. I Congresso Anual da Associação Brasileira de Pesquisadores de Comunicação e Política (ComPolítica), Salvador, GT, Comunicação & Democracia, 2006.

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

UNAMA lança nova edição de pós-graduação em Jornalismo

A UNAMA realizará, na próxima semana, um conjunto de palestras com profissionais e pesquisadores da área da Comunicação Social que marcará o lançamento da terceira edição do Curso de Especialização em Jornalismo, Cidadania e Políticas Públicas, da Universidade. Os Seminários acontecerão de 25 a 27 de setembro no Campus Quintino.

O ciclo de palestras trará debates sobre a produção e a função das novas tecnologias da comunicação, o papel do jornalismo como defensor do interesse público e da democracia, e as relações entre as instituições que representam o cidadão e a imprensa. O primeiro dia (25) dos seminários terá as participações da Professora Ana Prado, Coordenadora do Curso de Comunicação Social da UNAMA e da Professora e Coordenadora de mídia digital, Ivana Oliveira, que debaterão o tema “Comunicação, internet, cidadania e políticas públicas”. O dia 26 terá a participação do Diretor de Redação do jornal Amazônia e professor da UNAMA, Antonio Carlos Pimentel, que discutirá sobre a temática “Jornalismo, interesse público e democracia”. No terceiro dia (27), será a vez da Assessora de Comunicação do Ministério Público Federal, a Jornalista Helena Palmquist, que fará a palestra “Comunicação e poder: vigilância, cobertura e divulgação”.

Essa nova edição dos seminários temáticos visa apresentar aos futuros alunos e à comunidade em geral temas fundamentais do âmbito da Comunicação Social. Os meios de comunicação vêm passando por profundas modificações, tanto em suas formas de produção, quando nos seus modos de se relacionar com o público e com as instituições, não se pode mais conceber essas questões, no País ou especialmente na Amazônia, exatamente como há vinte anos, assim como não se pode ignorar essas mudanças que afetam a todos, por isso os Seminários têm um papel importante de expor e discutir essas temáticas, para que possamos pensar sempre sobre essas novas características assumidas pela mídia.

O “Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Jornalismo, Cidadania e Políticas Públicas”, da UNAMA, tem como objetivos principais formar especialistas que possam aprofundar o conhecimento a respeito da execução e do acompanhamento de políticas públicas e sociais; refletir sobre o papel da mídia; compreender a forma pela qual são gestados e monitorados os recursos públicos; analisar a forma como a mídia brasileira trata as temáticas sociais e propor novas formas de abordagem das políticas públicas e sociais pela mídia.

Os seminários têm entrada franca e as informações sobre as inscrições, que ainda podem ser realizadas, para a especialização podem ser feitas pelos telefones 4009-3310/4009-3344, pelo e-mail supos@unama.br e pelo portal http://unama.br/.

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Módulo 8 - Mídia, Violência e Segurança Pública

Professora:
Dra. Alda Cristina Costa

Carga Horária:
30 horas - 13 a 15 e 20 a 22 de Setembro.

Ementa:
As diversas faces da violência: as discussões conceituais; violência e as relações de poder; Mídia e violência simbólica; Violência, espetacularização, banalização e sensacionalismo; Construção social da violência: conteúdo, forma, apresentação e extensão das notícias.

Objetivos:

Geral:
  • Analisar as representações da mídia sobre a violência. 
Específicos:
  • Compreender o papel da mídia na cobertura de matérias que envolvem o problema social violência; 
  • Refletir sobre as discussões conceituais da relação entre mídia e violência; 
  • Entender a relação entre mídia e violência simbólica; 
  • Caracterizar os fatos a partir da espetacularização, banalização e sensacionalismo;
Conteúdo Programático:

Unidade I – A relação entre mídia e violência
1.1 As discussões conceituais;
1.2 As diversas faces da violência;
1.3 Mídia e violência simbólica

Unidade II – Características Conceituais:
2.2 – Os diversos olhares;
2.3 – Espetacularização;
2.4 – Banalização;
2.5 – Sensacionalismo;

Unidade III – A construção social da violência
3.2 -  A relação entre imagem e texto;
3.3 – Conteúdo, forma, apresentação e extensão
3.4 – As possibilidades.

Objetivos das Unidades:
A Unidade I tem como objetivo traçar um panorama conceitual das discussões sobre o papel da mídia na cobertura de fatos que envolvem o problema social violência, tanto no campo teórico como objeto de pesquisa. Nesse arcabouço busca-se entender conceitualmente o que é violência, tendo como base teórica os estudos de comunicólogos, sociólogos, antropólogos e filósofos.

A Unidade II traça um panorama geral das características visíveis e invisíveis apresentadas nas narrativas midiáticas sobre violência, abordando aspectos centrais como espetacularização, banalização e sensacionalismo, demarcando como características conceituais das construções estabelecidas nos meios de comunicação.

A Unidade III tem como objetivo levantar os principais questionamentos contrários às narrativas midiáticas, centrando o debate nas construções que privilegiam a exposição de imagens sangrentas, em detrimento do conteúdo, forma, contextualização e extensão dos fatos apresentados.

Métodos/Técnicas/Recursos:
  • Aula expositivo-dialogada;
  • Leitura e discussão de textos;
  • Seminários e Debates;

Avaliação
A avaliação é composta de um conjunto de elementos com o objetivo de fazer com que o aluno compreenda o seu papel como investigador na especialização de Jornalismo, Cidadania e Políticas Públicas. Serão considerados como dados avaliativos os seguintes critérios:
  1. Participação nos debates de sala, com elaboração de perguntas e respostas;
  2. Participação nas intervenções junto às equipes de seminários;
  3. Análise de material jornalístico ou publicitário – Os alunos deverão escolher uma matéria jornalística, ou programa televisivo ou peça publicitária para fazer análise da construção social da violência nas informações.
Clique neste link para download do material do módulo

Bibliografia Básica:

UNIDADE I:

ARENDT, Hannah. Sobre a Violência. Tradução de André Duarte. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1994.

COSTA, Alda Cristina. O poder simbólico em Bourdieu. Resenha, 2009. BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Tradução Fernando Tomaz (português de Portugal). 10ª Ed. Rio de Janeiro. Bertrand Brasil. 2007.

COSTA, Alda Cristina. A violência em Hannah Arendt. Resenha, 2009.

PORTO, Maria Stela Grossi. A violência entre a inclusão e a exclusão social. Tempo Social. Ver, Sociol. USP, São Paulo 12 (1): 187-200, maio de 2000. http://www.scielo.php (http://dx.doi.org/10.1590/S0103-20702000000100010).

______________________.Violência e os meios de comunicação de massa na sociedade contemporânea. Sociologias, Porto Alegre, ano 4, n.8, jul/dez 2002, p. 152-171. http://www.scielo.br/pdf/soc/n8/n8a07.pdf

WIEVIORKA, Michel. O novo paradigma da violência. Tempo Social; Ver. Sociol. USP, S. Paulo, 9 (1): 5-41, maio de 1997.

UNIDADE II:

COSTA, Belarmino Cesar Guimarães da. Estética da Violência: jornalismo e produção de sentidos. – Campinas, SP: Autores Associados; Piracicaba, SP: Editora Unimep, 2002. 

DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo. http://www.cisc.org.br/portal/biblioteca/socespetaculo.pdf

KEHL, Maria Rita. Televisão e violência do imaginário. In: BUCCI, Eugênio. Videologias: ensaios sobre televisão. – São Paulo: Boitempo, 2004.

MARQUES, Fábio Cardoso. Uma reflexão sobre a espetacularização da imprensa. In: COELHO, Claudio Novaes Pinto; CASTRO, Valdir José de (orgs.). – São Paulo: Paulus, 2006.

RAMOS, Silvia. Mídia e violência: tendências na cobertura de criminalidade e segurança no Brasil. – Rio de Janeiro, IUPERJ, 2007. (Fama de mau: os bandidos na imprensa; Cenários da violência: estereótipos na cobertura de favelas e periferias).

UNIDADE III:

COSTA, Alda Cristina. A violência das imagens em Oliver Mongin. Resenha Crítica realizada em 2009. 

MATHEUS, Letícia Cantarela. Narrativas do Medo. – Rio de Janeiro: Mauad X, 2011. (O mapa do medo e a experiência urbana).

MONGIN, Oliver. A violência das imagens ou como eliminá-las? Tradução Joana Ruas. Editorial Bizâncio, 1998.

SALES, Mione Apolinario. (In)visibilidade perversa: Adolescentes infratores como metáfora da violência. – São Paulo: Cortez, 2007. (Mídia, juventude e violência: representações sociais que circulam).

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Módulo 7 - Cronograma de final de módulo e Seminário


Prezados,

O cronograma do final do módulo é o seguinte:

  • 30 de agosto (quinta-feira): Discussão do Texto 1 da Unidade 3 (Agenda Setting) / Vídeos.
  • 31 de agosto (sexta-feira): textos complementares (levados por mim).
  • 1º de setembro (sábado): Seminário.

Os grupos terão 30 minutos para apresentar seus textos (que estão disponíveis para download neste link). As apresentações começam às 09h.

Grupo 1/Texto 1 (09h): Ana Thaynara, Victor Miranda, André Palmeira, Renato Calandrini
Grupo 2/Texto 2 (09h40): Ana Carolina Magno, Martha Almeida, Michele Araújo, Pedro Bragança
Grupo 3/Texto 3 (10h20): Andrea Santos, Cezar Augusto, Marta Silva, Carla Couto

Comentários sobre o Seminário / Entrega dos papers corrigidos

Grupo 4/Texto 4 (13h30): Fernanda Graim, Cleide Magalhães e Melissa Noguchi
Grupo 5/Texto 5 (14h10): Danilo Caetano, Angelo Cavalcante

Há 26 alunos matriculados, mas apenas 20 frequentaram regularmente o módulo, o que dá a possibilidade de montarmos 5 grupos com 4 alunos.

Há 3 alunos que estão sem grupo: Breno Mendes, Élida Galvão e Priscila. Sugiro que Breno e Élida entrem no grupo 5, junto com Danilo e Angelo. No caso da Priscila, sugiro que entre no grupo 4, onde falta um integrante. Definam esses ajustes e me comuniquem até amanhã, por favor. 

Na apresentação, cada grupo terá 30 minutos para montar seu material, no formato que achar interessante, discutindo os pontos principais do texto lido. Todos os alunos devem apresentar o trabalho. Será avaliada a discussão teórica, a participação da equipe e a qualidade da apresentação. O seminário vale 3,5, compondo a nota final.

Essa listagem foi baseada nos papeis encaminhados pelos grupos para mim, em ordem de entrega. Os textos se equivalem em termos de tamanho - só um deles é um pouco maior.

Os alunos devem participar o máximo tempo possível das apresentações. Isso será avaliado.

A assinatura final da lista será às 15h30. Na sequência, repassarei as notas finais e encerrarei o módulo.

Encerraremos o módulo às 16h, visto que no primeiro final de semana, esperei o último trabalho ser concluído até às 18h.

Quaisquer dúvidas, favor contactar-me.

Rodolfo Marques